O País Online - A verdade como notícia

Sábado
23 de Setembro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade PMA anuncia novo plano de acção para combate à fome em Moçambique

PMA anuncia novo plano de acção para combate à fome em Moçambique

Um quarto da população moçambicana enfrenta insegurança alimentar crónica ou desnutrição

O plano destina-se a garantir que as pessoas tenham acesso a alimentos nutritivos e que se tornem mais resilientes aos choques climáticos a que Moçambique é cada vez mais propenso.

O PEP para Moçambique – que representa uma série de novos planos estratégicos iniciados pelo PMA em vários países do mundo - está alinhado com a Agenda de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas para o ano 2030, para transformar o planeta em um lugar livre de pobreza e desigualdade. Produto de dois anos de consultas a nível nacional, o PEP apoia plenamente as principais prioridades nacionais de desenvolvimento de Moçambique, incluindo o Plano Quinquenal do Governo 2015-19.

“Este Plano Estratégico é um marco importante para o país”, disse Karin Manente, directora nacional do PMA em Moçambique. “Ele estabelece os passos necessários para que o PMA trabalhe com o Governo e outros parceiros para enfrentar os principais desafios à segurança alimentar e nutricional em Moçambique”.

Além de garantir que as pessoas vulneráveis possam atender às suas necessidades alimentares e nutricionais, mesmo em tempos de crise, o PEP concentra-se na erradicação da desnutrição crónica entre as crianças em áreas de insegurança alimentar e na melhoria dos meios de subsistência dos pequenos agricultores.

Apesar de Moçambique ter alcançado o seu Objectivo de Desenvolvimento do Milénio de reduzir para metade o número de pessoas com fome no país, quase um quarto da população enfrenta insegurança alimentar crónica ou desnutrição. O país continua a ser um dos mais propensos a desastres do mundo, altamente vulnerável a eventos climáticos extremos que destroem as infra-estruturas e restringem o crescimento económico, prejudicando os esforços de erradicar a pobreza e a fome. Ao mesmo tempo que mantém uma forte capacidade de assistência humanitária, o novo plano do PMA concentra-se no apoio a esforços de fortalecimento da resiliência a longo prazo, bem como no fortalecimento de parcerias, sistemas e instituições nacionais necessárias para atingir os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, em particular o ODS 2 (Fome Zero) até 2030. O Plano Estratégico do País para Moçambique, orçado em US $ 167 milhões, foi aprovado e entrou em vigor em Julho deste ano.

 O PMA é a maior agência humanitária que combate a fome no mundo inteiro, prestando ajuda alimentar em situações de emergência e trabalhando com comunidades para melhorar a nutrição e aumentar a resiliência. Anualmente, o PMA presta assistência a pelo menos 80 milhões de pessoas em cerca de 80 países.

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -22-09-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa414