O País Online - A verdade como notícia

Terça-feira
17 de Outubro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade Suspensão de exportação da madeira gera prejuízos na Zambézia

Suspensão de exportação da madeira gera prejuízos na Zambézia

Cornelder perde cerca de 60 milhões de meticais devido a suspensão da exportação da madeira no porto de Quelimane

A cerca de um ano, desde que foi constatado o empacotamento de madeira em toros, as autoridades do sector da madeira suspenderam a exportação a partir do porto de Quelimane. Desde então a situação tem causado prejuízos.

A Cornelder de Moçambique, empresa concessionária do Porto de Quelimane, perdeu só este ano cerca de 60 milhões de meticais, devido a suspensão, e 65 trabalhadores correm risco de perder empregos. 

Ao longo da Estrada Nacional número um, camiões cavalo transportando madeira retirada das florestas da Zambézia, seguem para o porto de Nacala ou da Beira, em detrimento do porto de Quelimane.

A falta de exportação de madeira a partir do porto de Quelimane está a prejudicar também a balança de receitas das alfândegas, delegação de Quelimane. 

 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -17-10-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa419