O País Online - A verdade como notícia

Quinta-feira
19 de Outubro
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Sociedade Sociedade PR quer professores afastados da corrupção

PR quer professores afastados da corrupção

Filipe Nyusi apela aos professores a distanciarem-se de qualquer prática de corrupção

O Presidente da República, Filipe Nyusi, apelou aos professores a distanciarem-se de qualquer prática de corrupção, que considera ser nociva à sua posição na sociedade e um factor de retrocesso do desenvolvimento do país.

O Chefe de Estado falava, ontem, em Maputo, perante membros da Organização Nacional dos Professores (ONP) que foram saudá-lo, no âmbito das comemorações do Dia do Professor, ontem celebrado.

“O professor deve influenciar no ambiente em que vive e na sociedade. O papel não se resume apenas na sala de aula. Não se valoriza um corrupto que vende notas, certificados e faz cobrança de matrículas. Até costumam dar-vos nomes, como professor matrícula ou exame”, disse Nyusi, citado pela AIM.

Segundo Nyusi, esse tipo de prática leva a sociedade a menosprezar o professor. Por isso, sublinhou Nyusi, a classe deve evitar o máximo possível este tipo de prática.

O estadista moçambicano instou os docentes a pautar pelo diálogo, sempre que se debaterem com um problema durante a sua actividade laboral, distanciando-se de manifestações que prejudicam os alunos. “Há algumas zonas em que os professores vivem de impaciência e intolerância. Em caso de não receberem as horas extras, a solução não é abandonar as actividades. Não é abandonar a sala nem é para abandonar o aluno, porque não foram pagas horas extras, apesar de ter recebido o salário”, referiu.

Nyusi disse que o governo está atento a todos os problemas que os professores enfrentam, com enfoque para a falta de pagamento das horas extras, sublinhando que faz parte do executivo solucioná-los.

Uma das tónicas no discurso do Presidente da República foi a formação dos gestores das escolas. “É preciso que os gestores sejam capacitados para gerir as escolas. Há muitos jovens nas escolas, aproveitem-nos para essa função também”, disse.

“Temos a consciência dos desafios que o professor moçambicano enfrenta, no exercício das suas actividades. Referimo-nos às condições de trabalho, salariais e da sua própria especialização. São desafios que não são só do professor, mas de toda a sociedade, porque sabemos que um professor motivado e patriota é a chave dos sucessos na frente de formação do homem novo, imbuído de valores ético-morais e de competências”, lê-se numa mensagem da Presidência da República recebida pela AIM, por ocasião da efeméride.

Por seu turno, o representante da ONP, Francisco Nogueira, apresentou os problemas que a classe enfrenta em Moçambique, apelando à resolução dos mesmos.

Baixos salários como desafio

Numa mensagem alusiva ao dia, Filipe Nyusi apontou os baixos salários e deficientes condições de trabalho como os principais desafios para os professores no país, assumindo o compromisso do Governo em resolver os problemas que a classe enfrenta. Nyusi referiu-se à situação em que os professores se encontram, numa mensagem alusiva ao Dia do Professor moçambicano, que se assinalou ontem. “Temos a consciência dos desafios que o professor moçambicano enfrenta no exercício das suas actividades. Referimo-nos às condições de trabalho, salariais e da sua própria especialização”, declarou Filipe Nyusi.

O Presidente acrescentou que um professor motivado e patriota é a chave do sucesso na frente de formação do homem novo, imbuído de valores ético-morais e de competências.


 

"Moçambique tem tudo para ser uma potência de África e do mundo.

Tem riqueza que chega para todos. Falta é de inteligências."

 

Adelino Timóteo


publicidade

Edição Impressa e O Tempo

 Edição  O Tempo

 Edição Impressa -18-10-2017

Impressa

 

Maputo

 

Inhambane

 Beira
 

Nampula

 
 

Edição Impressa419