Júri comovido pela criatividade dos concorrentes apurados para sexta gala

Júri comovido pela criatividade dos concorrentes apurados para sexta gala

Na gala realizada há uma semana, os membros do júri foram deveras austeros. Por isso, das 36 apresentações apenas cinco conseguiram conquistar a pontuação máxima de 30 pontos. De acordo com Maria Helena Pinto, Dadivo José e Dudas Aled, na quarta gala, os concorrentes do maior concurso infantil de descoberta de talentos do país foram repetitivos. Logo, impunha-se que os pais e encarregados de educação ajudassem as crianças a reinventarem-se.

A recomendação e rigorosidade daqueles cujo poder de decisão influencia na permaneça dos concorrentes no Mozkids Talents em 70% pareceu que surtiu efeito. Na gala deste sábado, sempre realizada no Cine Scala, na baixa da cidade de Maputo, a maioria dos concorrentes apresentaram propostas diferentes das que têm levado ao palco habitualmente. Em geral, as crianças tiveram a preocupação de sair da sua zona de conforto e mostrar que são capazes de se apresentarem com outro tipo de propostas. Daí o júri e o público terem ficado várias vezes de boca aberta.

Quer do ponto de vista temático, quer do ponto de vista de performance, os concorrentes escolheram ser diferentes e impactantes. Assim sendo, ao contrário da quarta gala, na quinta mais crianças tiveram 30 pontos e uma vibrante salva de palmas. No primeiro caso, os concorrentes de poesia valorizaram o recém-acordo assinado entre o Governo e a Renamo, declamando paz, em nome da unidade e do bem-estar dos moçambicanos. E porque esse bem-estar depende muito da felicidade das crianças desamparadas, os pequenos actores dramatizaram a situação dos meninos de rua, retratando as causas deles abdicarem de um lar e escolherem as incertezas quotidianas, como que sugerindo mais atenção àquela realidade.

Se é verdade que o concurso iniciou com alguns concorrentes meio perdidos em termos do que lhes competia levar ao palco, na gala de sábado o cenário foi completamente diferente. Por exemplo, as crianças da categoria de dança valorizam mais o repertório cultural moçambicano. Uma das concorrentes que surpreendeu, nesse sentido, foi Erpídia Chiconela. A pequena bailarina quebrou qualquer preconceito que permite fazer do xigubo uma dança exclusivamente masculina. Ao seu ritmo, acompanhada por batuqueiros em palco, Erpídia surpreendeu a todos numa entrada triunfal que deixou toda gente petrificada. Resultado disso foram os 30 pontos arrancados entre sorrisos do júri.

Além do xigubo, a marrabenta teve razão de existir no palco nos passos da dupla Letícia e Tónia e também no dos Kayane Machavane. A reacção dos expectadores não poderia ser indiferente. Os pais e encarregados de educação apoiaram as crianças sem sequer preocuparem-se com o facto de o Mozkids Talents ser um concurso em que uns são apurados e outros eliminados. Na verdade, neste concurso da Stv, em parceria com a Dstv e Gotv, o público e os próprios concorrentes apenas lembram-se disso quando chega o momento da apresentadora Yara da Silva anunciar quem segue para a gala seguinte.

A propósito de gala seguinte, incapaz de eliminar qualquer concorrente na categoria instrumentos musicais, os membros do júri apuraram todos os quatro para sexta. Assim, os dois grandes favoritos a vencer esta categoria, Jorge Mbie e Stefanny António, têm a companhia de duas meninas, Kiyone Sigaúque e Shanikwa Boene. Para as suas actuações, os primeiros dois concorrentes foram ao continente americano buscar inspiração. Mbie tocou Michael Jackson no seu violino, enquanto António preferiu imortalizar Bob Marley.

Na categoria de canto as coisas não mudaram muito. Para gala seguinte seguem Rindzela Novela (igualmente a mais votada, e que na gala passada cantou Zaida Lhongo), Bruna Morais, Steffany Mulumbula, Maida Horácio, Sílvia Abdula, Cybell Duarte e Maria Tereza. Destas, tiveram pontuação máxima do júri Bruna Morais e Maida Horácio.

Na poesia, desta vez, o eliminado foi Tiago Luís, menino que já compõe seus próprios textos. Os apurados são Flórida Guambe (novamente a concorrente mais votada), Luísa Sambo, Carla Timbane, Shantel Macuvele, Michelle Taimo, Romena Zunguza (a que fez uma ode à mulher que lhe valeu 30 pontos) e Elisa Senguele.

Na dança, Ezaly Assura continua a liderar. A menina que teve 30 pontos do júri, este sábado, segue para sexta gala em primeiro lugar. Atrás dela estão a dupla Kayla Cristina e Kyara Manjate, as irmãs Naila e Nazira Tuahir, Erpídia Chiconela, Kayane Machavane, Alisha Francisco, Letícia e Tónia.

Na categoria de teatro, Riaz e Vanda, mesmo sem uma boa apresentação, novamente, passam para a fase seguinte em primeiro lugar. Com a dupla segue outra, a que maior produção já levou ao palco do Scala nesta edição: Charlise Khan e Yunat Dengo. Depois de muitas críticas recebidas há uma semana, as meninas mudaram tudo e levaram uma peça ousada ao Mozkids Talents, inclusive com um interessante jogo de luz. As meninas interpretaram a situação das crianças de rua e facilmente arrancaram 30 pontos do júri. A dupla Nicole Thayla e Gina Michavão também continua neste concurso. A lista dos apurados no teatro completa-se com os irmãos Tamyris e Toyvo Chiluvane, Dionísio Custódio e Jéssica Albino e Joaquina.

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique