Kulemba realiza 2ª edição do Festival do Livro Infantil na Beira

Kulemba realiza 2ª edição do Festival do Livro Infantil na Beira

A cidade da Beira vai ser o centro de mais uma Feira do Livro Infantil da Kulemba (FLIK). O evento será inaugurado na próxima sexta-feira e está previsto para encerrar dia 17.

O FLIK é uma iniciativa anual da Associação Kulemba, que, sob o lema “Livro, o remédio para a união e solidariedade”, faz do festival um espaço em que autores e apreciadores das artes em geral juntam-se às crianças para com elas pensarem no desenvolvimento humano e social. Na cidade da Beira, o principal espaço das actividades desta 2ª edição do FLIK será a Universidade Zambeze (UniZambeze) e não uma escola primária, por exemplo. Sobre a preferência do local, Dany Wambire, da Kulemba, explica que contribui para o efeito o facto de a sua associação estar sedeada naquela universidade, já há três meses. Então, “resolvemos aproveitar o espaço. Além disso, há interesse por parte da UniZambeze de contribuir na ligação entre a sociedade em geral e a comunidade académica”.

Não obstante, porque a UniZambeze está localizada no meio de bairros suburbanos, considerando o objectivo de expandir o livro e a arte, levando-os a pessoas mais desfavorecidas, Wambire acredita que, sendo o festival na UniZambeze, torna-se muito provável que as crianças radicadas à volta da instituição consigam desfrutar das actividades organizadas, ao contrário do que seria na Casa do Artista, Casa da Cultura ou no Centro Cultural Português, na zona nobre da cidade.

Na edição anterior, em termos conceptuais, o FLIK procurou ser um espaço para mostrar as actividades da associação e as aprendizagens das crianças que lidam com a Kulemba ao público. Desta vez, o evento será mais aberto, incluindo meninos de outros locais. Por isso, perspectiva Dany Wambire, que a presente edição vai envolver mais ou menos 800 crianças, como espectadoras, e 20 na produção de actividades como narração de histórias, sarau de poesia, canto, oficina de teatro (com moderação de Guilherme Roda) e oficina de banda desenhada (com Helénio da Silva). E porque o cinema é igualmente importante, o Festival do Livro Infantil da Kulemba vai contemplar a projecção de um filme do Parque Nacional da Gorongosa.

Fora as actividades a realizarem-se na sede da UniZambeze, a Kulembra programou fazer de um “tchova” uma atracção ao serviço literário. Assim, os organizadores do Festival vão colocar livros na carrinha e pô-la a circular nas principais artérias da cidade da Beira, com paragens previstas nas praças e nas escolas. Com isso, a Kulemba espera consumar um trabalho de consciencialização sobre a importância do livro, levando-o às pessoas num veículo humilde, que lhes é familiar e muito próximo. Portanto, essa será uma espécie de feira ambulante dentro do próprio festival. Com este festival, “queremos elevar a autoestima das crianças, contribuindo para que elas compreendam o mundo por via da leitura e da arte. Julgamos que estamos a lançar a semente capaz de contribuir para as crianças aprenderem a ler com prazer. E esperamos que este espaço de aproximação escritor e leitor seja passível de promover a união entre as pessoas”, afirmou Dany Wambire, quem, mês passado, lançou um livro no Brasil: A mulher sobressalente.

Ao longo do festival, serão apresentados dois livros infanto-juvenis: “A formiga Juju”, de Cristina Pereira, e “ A história de João Gala-Gala”, de Pedro Pereira Lopes. No evento, sobrará ainda espaço para o grupo (In)Versos apresentar a peça “As visitas do Dr. Valdez”, adaptada do livro de João Paulo Borges Coelho. A peça encenada por Guilherme Roda (Venâncio Calisto) vai acontecer no encerramento da conferência a realizar-se na UniZambeze, designada “Conferência Ligações universidade e sociedade: oportunidades para o desenvolvimento da região do vale do Zambeze”.

Esta 2ª edição do FLIK inclui ainda uma mesa redonda com autores residentes na Beira, casos de Diogo Vaz, Heliodoro Baptista Júnior, Martins Mapera e Adriano Júnior, que vão debater sobre nuances que envolvem a literatura produzida actualmente na urbe.

Uma das grandes novidades desta edição é o concurso de leitura, interpretação e declamação, envolvendo alunos de diversas escolas primárias na Beira.

O evento da Kulemba conta com apoio da Universidade Zambeze, Instituto Camões, Parque Nacional da Gorongosa, Casa do Artista e Editorial Fundza.

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique