Malásia abre processos contra 17 actuais e ex-directores do Goldman Sachs

Malásia abre processos contra 17 actuais e ex-directores do Goldman Sachs

A Malásia anunciou hoje a instauração de processos judiciais contra 17 atuais e ex-directores de três subsidiárias do grupo financeiro Goldman Sachs, no seguimento do escândalo relacionado com o fundo soberano malaio 1MDB.

O desvio de milhares de milhões de euros do fundo 1MDB motivou múltiplas investigações judiciais e contribuiu para a queda do ex-primeiro-ministro da Malásia Najib Razak, acusado de corrupção.

O caso envolve supostamente o grupo financeiro norte-americano Goldman Sachs, suspeito de ter ajudado a efetuar os alegados desvios.

"Os processos criminais foram lançados hoje (...) contra 17 atuais e ex-diretores (...) de três subsidiárias do banco de investimento Goldman Sachs", disse em comunicado citado pela agência Lusa o Procurador-Geral da Malásia, Tommy Thomas.
"Prisões e multas serão exigidas contra os réus, dada a gravidade da fraude, bem como a devolução de milhares de milhões de dólares", acrescentou.

Esta parte do inquérito centra-se no papel do gigante financeiro em emissões de títulos de mais de 6,5 mil milhões de dólares para o fundo do 1MDB.

No comunicado mencionam-se os nomes das 17 pessoas processadas, que eram directores das subsidiárias da Goldman Sachs em questão entre maio de 2012 e março de 2013.
O processo foi lançado em Dezembro na Malásia contra três subsidiárias, a Goldman Sachs International, a Goldman Sachs (Ásia) e a Goldman Sachs (Singapura), e dois ex-funcionários, Tim Leissner e Ng Chong Hwa.

O Goldman Sachs respondeu, acusando o ex-governo da Malásia e os gerentes de fundos soberanos de terem mentido sobre o caso.
 


 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique