Mambas vencem Ruanda por 2-0 no Zimpeto

Mambas vencem Ruanda por 2-0 no Zimpeto

Os Mambas receberam e venceram o Ruanda por duas bolas sem reposta, em partida da primeira jornada do grupo F de qualificação ao CAN-2021. O combinado nacional lidera o seu grupo com 3 pontos, mais dois que os Camarões e Cabo Verde, que na quarta-feira empataram sem abertura de contagem. Segunda-feira, os Mambas voltam aos relvados, diante do Cabo Verde, na cidade de Praia.

Os Mambas entraram em campo já conhecendo o resultado do outro jogo do grupo e sabendo que uma vitória colocava a equipa na primeira posição.
Luís Gonçalves montou uma equipa virada ao ataque e que tinha uma identidade própria. 

A defesa, sem surpresa, foi confiada ao mesmo quarteto, Sidique, Mexer, Zainadine e Reinildo, mas o meio campo já tinha algumas mexidas, onde Kambala fazia dupla com Dominguez, embora este mais "vagabundo", e as alas com Telinho e Witi, que tinham a responsabilidade de alimentar o ataque, neste início entregue a Clésio e Geny Catamo, relegando Ratifo e Reginaldo ao banco de suplentes.

Uma estrutura com cabeça, tronco e membros, que fazia todas transições possíveis, da defesa ao ataque, sem mácula e sem tremedeiras.

Não foi preciso esperar muito tempo para perceber que os Mambas estariam com o controlo do jogo, já que desde o início o Ruanda não fazia nada para merecer.

 

Vencer ainda antes dos 30 minutos

À passagem do minuto 26, Mexer ganha a bola na linha do fundo, depois de um pontapé de canto e tenta um remate directo, mas o guarda-redes do Ruanda defende para fora. No canto, a bola chega aos pés do mesmo Mexer, mas já na zona intermédia, que tenta o remate, mas desta, a bola embate na mão de um adversário e o árbitro apita para grande penalidade. 

Mexer, a querer o protagonismo, marcou denunciado, o guarda-redes ainda toca na bola, mas esta acaba por entrar mesmo.

Quando se pensava que Ruanda reagisse, os Mambas não deram espaço e foi Telinho a responder positivamente a um passe de grande nível de Dominguez e a desviar para o fundo das malhas. A chuva cedeu a uma imensa onda vermelha que se abateu sobre o ENZ, com os festejos a subirem de tom. Era ainda antes dos 30 minutos.

Depois foi esperar para ver qual era a reacção dos ruandeses, demostrada pelo capitão Haruna, nervoso, a maltratar a bola e a ver a cartolina amarela.

Não encontrava soluções o técnico ruandês e ais 44 minutos tirou Kevin e fez entrar Oliver. O que estaria procurando o Vicent?

Em tempo de compensação, Ruanda ganha um livre perigoso, á entrada da área e Haruna fez as honras do remate, mas Franque defendeu, só que para frente, quase a comprometer, mas quem tem Mexer e Zainadine está seguro e, estes, trataram de tirar o perigo dali.

Segunda parte de luxo mas sem golos
No início da segunda parte, os Mambas tiveram duas oportunidades de marcar, mas desta vez a defensiva estava mais atenta. Num lance na defensiva moçambicana, Reinildo é batido na esquerda, há um cruzamento para a área, do lado contrário Sidique também é batido, mas Franque estava atento e defendeu o cabeceamento de um contrário. 

Voltou à carga a selecção nacional e por diversas vezes esteve perto de marcar. 

Primeiro por Dominguez, à entrada da área, a proporcionar uma excelente defesa a Eric. Depois foi Geny Catamo a ganhar uma sobra à entrada da área, também a rematar, ao jeito de Cristiano Ronaldo, para defesa do guarda-redes ruandês, e por último foi Telinho a rematar com perigo, mas a bola a roçar a baliza contrária. Todas tentativas levantavam o público no ENZ.

Mesmo quando Mexer e Zainadine estiveram perto de marcar, com seus cabeceamentos a rasarem os postes da baliza adversária, o público vibrava e não parava de apoiar a selecção nacional.

Entregar iniciativa do jogo e sair em contra-ataque
Os Mambas chegaram a entregar a iniciativa do jogo aos ruandeses, mesmo porque precisavam dar uma pausa no acelerador, para poder explorar o contra-ataque, a aproveitar a velocidade de Dominguez e de Geny Catamo, este último que voltou a ter mais duas oportunidades de marcar, sendo que na primeira rematou por cima e na segunda permitiu mais uma defesa de Eric.

Teimavam em não entrar os golos, mas nada que enervasse os moçambicanos. Aliás, o domínio era total que o adversário não tinha espaço para pensar, fazendo com que o nervosismo fosse mais para o lado dos ruandeses. Pena do guarda-redes Eric que teve mais trabalho que os restantes colegas.

 

Geny Catamo, o mais rematador

Geny Catamo procurou de todas formas dar um presente a Dominguez, que completou mais um ano na quarta-feira, e voltou a ter mais oportunidades de marcar. Aliás, foi o jogador moçambicano que mais remates fez, mas a sorte não acompanhou o miúdo desta vez. 

Mas o capitão sabia quando parar, quando acelerar e por diversas vezes levantava o público com as suas maravilhas, afinal é o Puto Maravilha.

 

Apagão no ENZ

Parecia que Deus queria testar a fé dos moçambicanos já sofridos em momentos anteriores, e mandou um apagão no Estádio Nacional do Zimpeto, que durou cerca de cinco minutos, mas ninguém arredou o pé, porque faltavam ainda cinco minutos para o final. Todos queriam ver o final do jogo e o que aconteceria. Havia ainda expectativa de mais golos, mas nem mais um entrou até ao apito final. Um final do jogo que já não trouxe muita história, porque esta já havia sido feita na primeira parte.

Os Mambas entram a vencer na fase de qualificação ao CAN-2021 e está na liderança do grupo F, com três pontos, seguido dos Camarões e Cabo Verde, que emparam na quarta-feira, que somam um ponto.

Esta tarde, os Mambas seguem viagem a cidade de Praia, onde segunda-feira defrontam os cabo-verdianos, em partida da segunda jornada do grupo F.


Sai witi e entra Amâncio Neymar

Sai Reinildo e entra Kito

Sai Clésio entra Reginaldo


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique