Município de Quelimane abandonado

Município de Quelimane abandonado

O Conselho Municipal de Quelimane está verdadeiramente abandonado por contas da decisão do Conselho de Ministro em decidir pela perda de mandato de Manuel de Araújo, alegadamente por força da lei, porque este se inscreveu a lista da Renamo como cabeça de lista nas eleições de Outubro próximo enquanto concluía o mandato pelo Movimento de Democrático de Moçambique (MDM).

Por contas da situação o edil abandonou a cidade para tratar da sua situação na capital do país, Maputo, onde consta que nos próximos dias provavelmente irá recorrer da decisão do Conselho de Ministros ao tribunal administrativo. Na sequência da situação o nível de trabalho no município conhece neste momento uma dinâmica diferente por conta da ausência do presidente.

Nas últimas duas semanas por exemplo, o nível de recolha de resíduos sólidos tem estado a ser deficiente desconhecendo-se a situação para o efeito. O certo é que a urbe está suja, com lixo por todos os lados o que mudou completamente a beleza que a cidade já vinha conhecendo nos últimos tempos.

Aliás, alegadamente pela situação foi despoletado pela procuradoria provincial da Zambézia extravios de um total de vinte cheques da edilidade, sendo que entre seis a sete cheques foram movimentados o que pode ter lesado o conselho municipal valores estimados em um milhão de meticais. Igualmente foi falsificada a assinatura de Manuel de Araújo, saqueados cheques do cofre e uso indevido do carimbo que contém o selo branco que no entanto ficam guardados no gabinete do edil.

Por estas e mais razões a cidade de Quelimane está sem o seu comando. Ou seja o conselho de ministro tomou a decisão de destituição do edil mas no entanto não foi ainda colocado o substituto de Manuel de Araújo para controlar a administração do estado em Quelimane.

Neste sentido, questionamos a Ministra da Administração Estatal Carmelita Namashulua que esta quinta-feira chegou a Quelimane para visita de trabalho de onde explicou que "não vou fazer comentário sobre este aspecto porque houve decisão do conselho de ministros e deu um prazo para que o edil da cidade de Quelimane pudesse reagir e acho que deve estar neste processo. Nós estamos serenos, vamos aguardar e temos a certeza que se tiver recorrido da decisão o tribunal administrativo vai nos notificar".

Mesmo com pergunta de insistência se Manuel de Araújo continua ou não nas suas funções enquanto decorre o período do edil recorre da decisão e a resposta foi que "estou a dizer que vamos aguardar pela notificação e não vou fazer nenhum comentário sobre este assunto".

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique