Música brasileira temperada à moçambicana

Música brasileira temperada à moçambicana

O Auditório Vinicius de Moraes no Centro Cultural Brasil-Moçambique (CCBM) foi minúsculo para acolher o concerto agendado para noite desta quinta-feira. E não era para menos, quando se tinha como músico Stewart Sukuma, quem, aliás, mostrou que a sua praia não só é marrabenta; a sua actuação centrou-se na Música Popular Brasileira (MPB), com um pouco, claro, do seu tempero. 

Acompanhado de banda, Stewart não apenas cantou, mas encarnou Djavan, para trazer aos presentes o que de melhor há na MPB. Sukuma disse-se honrado por interpretar artistas que desde cedo o inspiraram.

Mas enfim... ladainhas à parte e vamos ao concerto, ou melhor, espectáculo, porque afinal de contas, é isso que foi... 

Para o "welcome drink", Stewart Sukuma serviu “Mera Luz”, do músico que o fez brilhar durante a noite, Djavan... E depois? Veio das mais populares do Brasil: “Garota de Ipanema”, de Caetano Veloso, que serviu para o público mostrar que estava presente. 

Entre Djavan, Caetano Veloso, Gilberto Gil, entre outros, Stewart Sukuma foi interpretando vários sons, até chegar ao momento, aliás a um dos momentos, porque foram várias as músicas que levaram o público a viajar pela terra do samba à moda moçambicana. 

Entremos então para o tal momento: É verdade que diplomatas só tratam de acordos e cooperações e não cantam? "Mas que nada", engane-se quem  pensou que sim.... Stewart Sukuma convidou ao palco o embaixador do Brasil, Rodrigo Soares, que, como bom anfitrião, mostrou que sabe fazer as honras da casa: ao som de Jorge Ben Jor fez o dueto de "Mas que nada" com o convidado, para alegria do público.

Na sua apresentação, Sukuma não só ganhara um parceiro para si, mas também para a sua banda... Quando interpretava "Flor de Lis", de Djavan, o músico convidou a um dos presentes para explicar a história da música e eis que este trazia um Pandeiro (instrumento musical). Depois da explicação, foi convidado a permanecer no palco. E concerto foi acontecendo...

Para encerrar a noite, Stewart Sukuma preparara uma 'fuga colectiva' ao som de Gilberto Gil; o tema "vamos fugir" colocou todos a fugirem, sem, no entanto, sair do lugar... A música com a qual o artista esperava terminar a noite foi cantada e dançada por todos.

Quando ia abandonar o palco, veio o pedido do público: mais uma, mais uma... e a sortuda, é sempre ela..."Felisminha", que no final, também recebeu o tempero brasileiro com o pandeiro do "estagiário" da banda.

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique