Nacala-a-Velha terá central termoeléctrica a partir de 2022

Nacala-a-Velha terá central termoeléctrica a partir de 2022

Obras de construção da central termoeléctrica a carvão no distrito de Nacala-a-Velha, na província de Nampula, deverão estar concluídas em 2022. O empreendimento prevê gerar 200 megawatts para suprir o défice enérgico naquele ponto do país.

Há anos que Nampula debate-se com sérios problemas de corrente eléctrica. A disponibilidade de energia é de apenas 42 megawatts, muito aquém das necessidades do consumo, que em 2023 estará em torno de 115 megawatts, segundo estimativas do Plano Director da Electricidade de Moçambique (EDM).

É neste contexto do défice energético, que a Somagec Moçambique, uma subsidiária da Corporação de Engenharia de Energia da China (CEEC), em cooperação com a EDM vão instalar uma central termoeléctrica a carvão no distrito de Nacala-a-Velha, em Nampula, com uma capacidade de produção de 200 megawatts.

Orçado em cerca de 21.7 biliões de meticais, as obras de construção do empreendimento deverão estar concluídas em 2022, de acordo com o cronograma do projecto consultado pelo “O País”.
Só na fase de construção da central, espera-se a criação de 1.850 empregos directos, 11.500 empregos indirectos e 45 mil laborais induzidos. Já na fase de operação e manutenção, prevê-se a geração de 300 empregos directos, 1.860 empregos indirectos e 7.300 empregos induzidos.

Em termos de matéria-prima, a central termoeléctrica de Nacala-a-Velha será alimentada pelo carvão extraído pela mineradora brasileira Vale em Moatize (província de Tete) e transportado a uma distância de aproximadamente 3,5 quilómetros.
Enquanto aguarda pela “luz verde”, ou seja, da aprovação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA), pelo Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural (MITADER), a avaliação preliminar do Estudo de Pré-Viabilidade Ambiental e Definição de Âmbito (EPDA) adianta que o projecto é viável.

“Os estudos e investigações efectuados no âmbito deste EPDA não identificaram qualquer falha fatal que possa impedir o avanço do Projecto. Contudo, as principais questões identificadas incluem potenciais impactos associados a emissões atmosféricas, geração de ruído, gestão de resíduos e a aspectos socioeconómicos, que deverão ser investigados e avaliados em mais detalhe durante a fase do Estudo de Impacto Ambiental”, lê-se no relatório da IMPACTO, consultora contratada para fazer o levantamento dos possíveis impactos do projecto da central termoeléctrica a carvão no distrito de Nacala-a-Velha.

 

 

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique