O cágado e o galo

O cágado e o galo

Há muitos anos, o cágado e o galo eram amigos. O cágado era especialista no tratamento de dentes e o galo no tratamento de espinha. Um dia, o doutor galo teve umas fortes dores de dentes, que nunca mais passavam. Então, resolveu procurar pelo doutor cágado, para ver se lhe tratava os dentes, mas não o encontrou.

No dia seguinte, o doutor galo, vendo que as dores nunca mais passavam, resolveu procurar novamente pelo doutor cágado e, desta vez, encontrou-o. O doutor cágado ouviu e marcou consulta para aquele mesmo dia. O doutor galo teve de esperar até o colega acabar de tratar os outros doentes, que já estavam ali à espera da sua vez. O doutor cágado, quando acabou de atender os seus doentes, mandou o colega entrar no seu gabinete.

? Ora bem – começou o doutor cágado – deita-te aqui e abre bem a boca.

O doutor galo cumpriu a ordem do médico e o médico arrancou-lhe todos os dentes. Depois, acalmou-o:

? Este é o momento adequado para te eliminar, duma vez por todas, as dores que tinhas, mas não te preocupes, porque dentro de pouco tempo vou-te colocar novos dentes.

O doutor galo viu o tempo passar, sem que o doutor cágado lhe substituísse os dentes. Apercebeu-se mais tarde que tinha sido enganado pelo doutor cágado e decidiu vingar-se.

Tempo depois, o doutor cágado adoeceu. Sentia umas fortes dores na espinha. Tentou consultar todos os curandeiros, mas não teve resultado. As dores eram cada vez mais fortes. Depois de muito sofrer, os amigos aconselharam-no a ir ter com o doutor galo, porque este era especialista naquele tipo de doença.

O doutor cágado, que se tinha esquecido de que tinha sido injusto para o colega, foi a correr para o consultório deste. O doutor galo, à entrada, saudou-o todo satisfeito:

? Olá, amigo! A que se deve esta ilustre visita?

? Não digas isso, não vês que estou a morrer? Venho marcar uma consulta por causa das minhas costas, que me fazem sofrer ? disse o doutor cágado.

? Está bem, deita-te de costas nesta cama, para iniciarmos o tratamento.

O cágado deitou-se de costas, numa cama, onde havia lama grossa preparada pelo doutor galo para o tratamento. Ficou naquela posição durante muito tempo. O doutor galo, vendo que a lama já estava bem seca na espinha do doente, disse-lhe que já podia voltar para casa.

Com o tempo, a espinha do cágado parou de doer, por isso, foi ter com o galo. O doutor galo disse:

? Hei-de tirar essa carapaça, depois de me devolveres os meus dentes.

Foi assim que o cágado ficou até hoje, com as costas duras, como se transportasse a sua própria casa. E o galo também nunca mais teve os seus dentes.

 

Nota do editor
O cágado e o galo é um conto escrito em 2016, por Adelaide Abílio Issá, então aluna da 6ª classe, na Escola Primária Completa de Massange, na cidade da Beira. O texto tem a ilustração de Ariana Kom e foi extraído da colectânea À volta da fogueira, Volume I, publicado pela Associação Kulemba, em 2016. É com este texto que desejamos a todos um feliz Dia Internacional da Criança.

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique