País pretende produzir 200 mil toneladas de castanha no próximo quinquénio

País pretende produzir 200 mil toneladas de castanha no próximo quinquénio

O Sub-sector do caju pretende produzir no próximo quinquénio até 200 mil toneladas da castanha do caju, sifra produzida na década 70. O director nacional do Incaju, Ilídio Bande, diz que com fundos disponibilizados pela USAID a quatro indústrias em Nampula, bem como a linha de financiamento na ordem de 60 milhões de meticais para produtores, vai fomentar a produção comercial da castanha.

A produção comercializada da castanha de Caju aumentou de cerca de 80 mil toneladas nos anos 2014 e 2015 para cerca de 142 mil toneladas na campanha 2018/2019. A produção de novas mudas e respectiva distribuição aos produtores na última década, são apontadas como principais factores de incremento de produção da castanha.

“Anualmente temos novos plantios que entram em produção, temos um trabalho muito grande na questão de maneio integrado do caju. Estamos a pulverizar por ano cerca de 5.5 milhões de cajueiros”, explicou Ilídio Bande, DN do INCAJU

Nos anos de 2014 e 2015 o país tinha apenas 10 fábricas de processamento da castanha em funcionamento. Neste momento estão a funcionar 17 unidades fabris com a capacidade instalada de processar 105 mil toneladas. Em 2018 pelo menos 60 mil toneladas foram processadas em todo o país.

Neste momento o sub sector do caju está a empregar pelo menos 20 mil pessoas.


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique