Resultado das Buscas " Colonialismo"




  • O nosso querido ditador

    Eis que fui a um colóquio… não, apresentação de um livro, disfarçado de colóquio.

    17 de Junho 2019 12h39, Cri Essencia
  • 59 anos depois Moçambique recorda massacre de Mueda

    59 anos depois Moçambique recorda massacre de Mueda

    A cerimónia foi orientada pela Ministra do Género, Criança, e Acção Social, Cidália Chaúque, que no seu discurso destacou a necessidade dos moçambicanos se inspirarem na coragem dos mártires de Mueda para os actuais e futuros desafios do país.

    16 de Junho 2019 16h34, Hizidine Achá
  • Impressões sobre os factos mais marcantes da Vida e Obra de Marcelino dos Santos

    Impressões sobre os factos mais marcantes da Vida e Obra de Marcelino dos Santos

    1. Desde muito jovem Marcelino abraça a causa do nacionalismo moçambicano e da Luta contra o colonialismo e o fascismo: dá provas disso ainda em Moçambique e depois na sua passagem por Lisboa (1948 – 1951), onde se destaca na Casa dos Estudantes do Império e no Centro de Estudos Africanos.

    20 de Maio 2019 01h50, Hélder Martins
  • Filipe Nyusi felicita Marcelino dos Santos pelos 90 anos de idade 

    Filipe Nyusi felicita Marcelino dos Santos pelos 90 anos de idade 

    Queremos usar este momento singular para celebrarmos com viva emoção a vida e obra de um HOMEM, mostrando, com muita sinceridade e solenidade, que bem merece o enorme impacto que o seu percurso representa para cada um de nós

    20 de Maio 2019 00h27, José dos Remédios
  • Emancipar a Pós-Graduação em Moçambique

    Defendo, então, a necessidade de uma pós-graduação emancipada – livre e independente – que, em poucas palavras, se traduz numa pós-graduação epistemologicamente inclusiva e integradora dos saberes do Sul.

    07 de Fevereiro 2019 09h51, Jorge Ferrão
  • Por que é que Chagonga, Mhole e Gwambe não são heróis?

    Os fundadores das organizações que deram origem à FRELIMO – Frente de Libertação de Moçambique, refiro-me ao Matias Mhole, Baptista Chagonga e delino Gwambe, merecem um lugar na história libertária de Moçambique, ao ousarem criar organizações para fazer frente ao colonialismo português.

    02 de Fevereiro 15h51, Adelino Buque
  • O sórdido jogo da invisibilidade

    A meio do pequeno périplo pelo Brasil, entre alegrias e tristezas que o mundo nos ensina, dou-me conta de uma realidade até então suspeita, mas nunca constatável: o jogo da invisibilidade.

    28 de Dezembro 23h20, Ungulani Ba Ka Khosa
  • Suleiman Cassamo: a viva voz do conto*

    Conferindo visibilidade a um conjunto de seres marginalizados, os “esquecidos” que desfilam pelas ruas de tantas cidades africanas, e não só, O regresso do morto supera os domínios da denúncia e apresenta-se como um fascinante trabalho literário.

    30 de Outubro de 2018 21h44 , Rita Chaves
  • Kulungwana expõe “Celebrar Rangel-A Lente e o Jazz”

    Kulungwana expõe “Celebrar Rangel-A Lente e o Jazz”

    O projecto denominado “Celebrar Rangel – A Lente e o Jazz: Uma vida Dedicada à Fotografia e ao Jazz” é uma parceria entre a União Europeia, Associação Kulungwana e da Associação Moçambicana de Fotografia e Centro de Formação.

    15 de Outubro 2018 09h17, Hélia Chopo
  • A casa

    O direito a refúgio deveria caber a mulheres e crianças pela sua natureza menos audaz para enfrentar batalhas sanguinárias. Os homens que preterirem a defesa da casa e juntarem-se a fila dos refugiados incorrem no risco de serem chamados cobardes.

    13 de Setembro de 2018 16h18, Hélder Augusto
  • PM assiste último treino dos Mambas e reiterou apoio para alcance da vitória

    PM assiste último treino dos Mambas e reiterou apoio para alcance da vitória

    Acompanhado de várias figuras governamentais, com destaque para a vice-ministra da Juventude e Desporto, Do Rosário cumprimentou os jogadores, um a um, tirou fotografias e depois assistiu ao último treino dos Mambas e reiterou o apoio do Governo para o alcance de um bom resultado.

    07 de Setembro 2018 14h21, Elísio Uamusse
  •  Selma Uamusse celebra

    Selma Uamusse celebra "moçambicanidade" no primeiro álbum a solo

    "Mati", produzido pelo músico Jori Collignon, demorou pelo menos quatro anos a ser feito, trabalhado e regravado, com Selma Uamusse à procura de uma sonoridade que fosse a soma de tudo o que ela tem sido, desde que começou a cantar aos 18 anos.

    04 de Setembro de 2018 21h24, Sérgio Raimundo
  • “O Sacrifício da Liberdade”: depoimentos dos que lutaram por Moçambique

    “O Sacrifício da Liberdade”: depoimentos dos que lutaram por Moçambique

    “O Sacrifício da Liberdade”, obra lançada esta segunda-feira em Maputo, tem depoimentos de veteranos como Alberto Chipande, Deolinda Guezimane, Eduardo Nihia, Feliciano Gundana, Graça Machel, Joaquim Chissano, Lopes Tembe, Marina Pachinuapa, Mariano Matsinha, Óscar Kida, Óscar Monteiro, Pachinuapa.

    04 de Setembro 2018 08h48, Ilídia Alberto
  • O que importa na escrita de Lúcia Baptista

    Simultaneamente, este Serpentear nas esteiras do tempo é uma história de três gerações. Aliás, quando a narração começa, pode-se ficar com sensação de que o protagonista é Samuel, pai de Joana, pois, no primeiro capítulo, todas as focalizações incidem nele.

    22 de Agosto 18h54, José dos Remédios




Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique