Resultado das Buscas " Humanidade"




  • O mundo nas mãos do ateu

    Dentre vários pressupostos, a coragem é imprescindível para ser um ateu. A condição do ateu é mais do que a de um filho que ousa viver livre das rédeas do seu pai, pois pelo menos este filho aceita a existência do seu progenitor, mesmo buscando a sua independência.

    21 de Fevereiro 17h34, Hélder Augusto
  • A reinvenção do ser - e a dor da pedra

    Já lá vão cerca de 35 anos que ele participou intensamente no movimento da reinvenção da literatura moçambicana e da dor que tal intrepidez custou aos fundadores da Charrua, a primeira Revista Literária Moçambicana, pós-independência.

    12 de Fevereiro 2019 08h34, Juvenal Bucuane
  • Emancipar a Pós-Graduação em Moçambique

    Defendo, então, a necessidade de uma pós-graduação emancipada – livre e independente – que, em poucas palavras, se traduz numa pós-graduação epistemologicamente inclusiva e integradora dos saberes do Sul.

    07 de Fevereiro 2019 09h51, Jorge Ferrão
  • Matéria para um BCI

    Matéria para um grito é um livro carregado de muita humanidade, daí tocar em questões universais.

    17 de Janeiro 21h40, José dos Remédios
  • LGBT e as três questões

    LGBT e as três questões

    Julgo um crime contra humanidade condenar indivíduos LGBT à soledade, quando com ou sem eles, a vida dos indivíduos heterossexuais continua normalmente. Os LGBT não ameaçam a condição dos heterossexuais no mundo de modo algum.

    21 de Dezembro 2018 17h23, Hélder Augusto
  • A volúpia da pedra, de Adelino Timóteo por Martins Mapera

    Em A Volúpia da pedra está inscrita a imagem de Cleópatra, a última rainha da dinastia Ptolemeu, poderosa e sensual, pintada de jóias de ouro e pedras preciosas, diamantes, esmeraldas, safiras e rubis.

    12 de Dezembro 2018 21h51, Martins Mapera
  • ECA encerra ano académico com espectáculo de ópera

    ECA encerra ano académico com espectáculo de ópera

    De igual modo, os organizadores desta ópera pretendem mostrar ao público moçambicano as valências dos estudantes da ECA, colocando-os a interagir com os seus docentes. Os mais implicados no espectáculo são professores e estudantes dos cursos de Música e de Teatro.

    10 de Dezembro de 2018 17h59 , José dos Remédios
  • Uma Carta ao Armando Artur d`A Reinvenção do Ser[1]

    Uma Carta ao Armando Artur d`A Reinvenção do Ser[1]

    Armando Artur, com este livro, faz dois exercícios simultâneos: o primeiro, ele quer reinventar o Ser por via da linguagem; o segundo, ele quer propor uma forma e arte, talvez nova, de escrever à qual me atrevo a chamar por proesia, ou seja, uma junção da prosa com a poesia.

    09 de Dezembro 2018 17h01, José Castiano
  • 3977 caracteres sobre o “ser” de Armando Artur

    3977 caracteres sobre o “ser” de Armando Artur

    Quatro anos depois de publicar As falas do poeta, Armando Artur regressa aos lançamentos. Desta vez, o título do livro é A reinvenção do ser e a dor da pedra, uma proposta equilibrada, na qual a palavra vai carregada de uma visão ulterior sobre os aspectos sugeridos.

    05 de Dezembro de 2018 19h11, José dos Remédios
  • O poder da escrita em Cri Essencia

    É um brado africano, repúdio, retrato da pequenez de alguns homens, uma ode a tanta mulher deserdada por um irmão nojento, absolutamente desprezível, do património deixado por uma mãe. É nisso que se encontra o poder da escrita de Cri Essencia

    07 de Novembro de 2018 22h27 , José dos Remédios
  • A degradação da personagem em Gungunhana*

    Ao ficcionar a vida do imperador de Gaza, homem extremamente violento, Khosa constrói um cenário maquiavélico, que ao tirano permite atingir o poder sem ameaças de o perder, delegando, por isso, a morte do seu irmão, Mafemane, a Ualalapi.

    31 de Outubro de 2018 16h26, José dos Remédios




Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique