Resultado das Buscas " Narrativas"




  • Seminário de Jornalismo Cultural realiza-se este mês

    Seminário de Jornalismo Cultural realiza-se este mês

    Mais uma vez, o jornalismo cultural moçambicano volta à reflexão no Seminário de Jornalismo Cultural, a realizar-se nos dias 17 e 18 deste mês, no Camões – Centro Cultural Português, na cidade de Maputo.

    04 de Junho 2019 17h48, O País
  • Literatura e cultura moçambicanas

    A literatura moçambicana teve e tem vários estudiosos e teóricos. Por questão de economia de tempo, apenas destacarei Fátima Mendonça, docente da Faculdade de Letras e Ciências Sociais da Universidade Eduardo Mondlane.

    31 de Maio 2019 18h33, Juvenal Bucuane
  • Tete – o lugar de Ana Mafalda Leite

    “Como se a manhã do tempo despertasse”, “Poemas de Moatize”, “Outras fronteiras: fragmentos de narrativas” – igualmente título da obra – e “O Índico em Marrakesh”.

    29 de Maio 2019 17h05, José dos Remédios
  •  Amosse Mucavele na Feira do livro de Lisboa

    Amosse Mucavele na Feira do livro de Lisboa

    A Feira contará com a presença de Mucavele num evento dedicado à literatura moçambicana, criação e mobilidade literária, da iniciativa e com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa.

    29 de Maio 2019 15h43, O País
  • “Quero que Moatize figure no mapa literário”

    “Quero que Moatize figure no mapa literário”

    Outras fronteiras: fragmentos de narrativas é o primeiro livro que Ana Mafalda Leite lança sob a chancela da Cavalo do Mar. Por via desta colecção de poesia, a autora procura conduzir o leitor moçambicano pelo país, por uma realidade desconhecida, investindo, por isso, em várias questões históricas

    09 de Maio 2019 12h17, José dos Remédios
  • Tânia Tomé, entre a encenação da voz e o canto

    Tânia Tomé, entre a encenação da voz e o canto

    Talvez esta partilha entre escrita e oralidade/música/ encenação/actuação revele também um dos traços originais da escrita da poesia feminina moçambicana actual. Lembro outra recente voz ligada à música, de uma outra forma, Melita Matsinhe, de quem falarei noutra ocasião.

    28 de Fevereiro 2019 16h26, Ana Mafalda Leite
  • Uma Carta ao Armando Artur d`A Reinvenção do Ser[1]

    Uma Carta ao Armando Artur d`A Reinvenção do Ser[1]

    Armando Artur, com este livro, faz dois exercícios simultâneos: o primeiro, ele quer reinventar o Ser por via da linguagem; o segundo, ele quer propor uma forma e arte, talvez nova, de escrever à qual me atrevo a chamar por proesia, ou seja, uma junção da prosa com a poesia.

    09 de Dezembro 2018 17h01, José Castiano
  • Ualalapi: a narrativa e os ciclos

    Uma espécie de convulsão percorre o tempo captado, levando-nos logo à desmitificação da ideia de harmonia que ainda frequenta o imaginário sobre o período pré-colonial e exporta uma equivocada ideia do continente.

    05 de Novembro de 2018 19h05 , Rita Chaves
  • Suleiman Cassamo: a viva voz do conto*

    Conferindo visibilidade a um conjunto de seres marginalizados, os “esquecidos” que desfilam pelas ruas de tantas cidades africanas, e não só, O regresso do morto supera os domínios da denúncia e apresenta-se como um fascinante trabalho literário.

    30 de Outubro de 2018 21h44 , Rita Chaves
  • 3ª edição do Maputo Fast Forward arranca quinta-feira

    3ª edição do Maputo Fast Forward arranca quinta-feira

    O MFF foi lançado há três anos e é uma plataforma que pretende estimular a criatividade e a inovação em áreas como arte, cultura, tecnologia e design, promovendo um diálogo transdisciplinar e incentivar o desenvolvimento de redes colaborativas entre os diversos agentes culturais e criativos.

    09 de Outubro de 2018 17h49, O País
  • Carota: a metáfora do Zambeze*

    Na realidade, não sabia exactamente o que buscava, mais a leitura paralela dos três textos revelou-se de extrema utilidade para quem tinha a missão de escrever algo sobre um texto para motivar a sua leitura.

    09 de Outubro 17h13, Lourenço do Rosário
  • As fragilidades da escrita em Pétalas d’água

    No que tange ao trato da língua/linguagem temos na obra de Chakil Aboobacar um exercício sugestivo. Em contrapartida, há tantos outros recursos indispensáveis à trama olvidados ou deixados à margem, daí certas fragilidades imporem-se no livro. Comecemos pelas descrições.

    19 de Setembro de 2018 17h47, José dos Remédios
  • O que importa na escrita de Lúcia Baptista

    Simultaneamente, este Serpentear nas esteiras do tempo é uma história de três gerações. Aliás, quando a narração começa, pode-se ficar com sensação de que o protagonista é Samuel, pai de Joana, pois, no primeiro capítulo, todas as focalizações incidem nele.

    22 de Agosto 18h54, José dos Remédios




Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique