Resultado das Buscas " Patraquim"




  • Camões discute a obra de Afonso Cruz

    Camões discute a obra de Afonso Cruz

    A iniciativa Escritor do Mês, visa promover a leitura, sobretudo junto dos mais jovens e contribuir para um melhor conhecimento e divulgação de escritores e obras em língua portuguesa.

    06 de Novembro de 2018 19h44, O País
  • Patraquim e Mbate Pedro finalistas do Prémio Oceanos no Brasil

    Patraquim e Mbate Pedro finalistas do Prémio Oceanos no Brasil

    Para Mbate Pedro, o facto de os dois livros fazerem parte da fase final do Prémio Oceanos representa o reconhecimento poético-literário do bom momento que a literatura moçambicana está a travessar nos últimos anos,

    30 de Outubro de 2018 22h22 , José dos Remédios
  • Poesia de Bonde brilha em concurso no Brasil

    Poesia de Bonde brilha em concurso no Brasil

    O concurso é organizado pela Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo) e Biblioteca Pública Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto” do Estado de São Paulo.

    27 de Outubro de 2018 15h47 , O País
  • A casa embriagada

    Naquela manhã o sol era ainda um passarinho tímido. O frio acariciava com vigor o rosto de quem o enfrentava as primeiras horas do dia.

    15 de Agosto 18h29 , Celso Muianga
  • “Bíblia Lounge” de Leco Nkhululeko

    “Bíblia Lounge” de Leco Nkhululeko

    A primeira “bíblia” no campo do romance das letras nacionais veio pela mão de Dóm Midó das Dores e Leco Nkhululeko, dentro da poesia.

    06 de Agosto 20h49, Sérgio Raimundo
  • Ungulani Ba Ka Khosa

    Começo por uma célebre e remotíssima “boutade”, do Ungulani Ba Ka Khosa, proferida numa entrevista à brasileira Cremilde de Araújo Medina: “A Charrua é a melhor revista literária do mundo!”. Esta frase denuncia a personagem Ungulani, um verdadeiro iclonoclasta, um destemido provocador.

    01 de Agosto 09h05, Nelson Saúte
  • Elogio de Sábado

    Billie Holiday canta “Come rain or come shine.” Parece que a chuva abrandou. Leio José Craveirinha. Poema “Lustro”: “Velha quizumba/ de olhos raiados de sangue/serve-me os rins da angústia/ e a dentes de nojo/ carnívora rói-me a medula infracturável do sonho.”

    18 de Julho 22h25, Nelson Saúte
  • Resposta à «benção»!

    Saudações, caros ouvintes da Rádio Boca! O escritor Faife respondeu à carta de Suaila Ginabay.

    27 de Junho 15h33, Celso Muianga
  • Fátima Mendonça

    Tínhamo-nos conhecido na Associação dos Escritores nos meados dos anos 80 e houve, desde logo, uma grande empatia entre nós. Fátima Mendonça era uma reputadíssima professora universitária e divulgadora incontornável da literatura moçambicana e eu um miúdo intrépido que queria saber e fazer tudo.

    13 de Junho 22h32, Nelson Saúte
  • Notas sobre a morte do livro, a ressurreição¹

    Uma casa sem nome, mas cheia de rostos: comecemos pelo lado carrancudo que se dá pelo nome de Vasquez e assim começo também eu por cumprimentar o meu colega do painel e irmão de São-Tomé e Príncipe, Orlando Piedade, autor dos livros que confesso desconhecer.

    31 de Maio 21h26, Mbate Pedro
  • Os crimes montanhosos – o efeito “narrativo” em António Cabrita (1)

    Os crimes montanhosos é o título mais recente da editora Cavalo do Mar. Esta colecção de poemas é dividida em duas situações, designadamente: “o branco colarinho dos corvos”, escrita por António Cabrita, e “a gravata preta do corvo albino”, com autoria de Mbate Pedro.

    04 de Abril 23h32, José dos Remédios
  • Descolonizámos o Land Rover

    Albino Magaia tem 40 anos e é um reputadíssimo jornalista e escritor moçambicano. É prócere director da prestigiada e prestigiosa revista TEMPO.

    29 de Março 17h52, Nelson Saúte
  • Jornalismo cultural ou artístico? A proposta de um diálogo

    Para esta semana, propus-me partilhar, neste espaço, uma leitura à obra Os crimes montanhosos, da autoria de António Cabrita e Mbate Pedro. Na verdade, até pensei em escrever um artigo em duas partes, uma dedicada a cada autor.

    27 de Março 23h34, José dos Remédios
  • Quando dançamos com a mulher da nossa vida

    Eu era um miúdo, tinha 18 anos, quando me tornei amigo do Luís Carlos Patraquim, que me publicou, na “Gazeta” da insigne revista Tempo, os meus primeiros versos impressos, em Agosto de 1985.

    01 de Março 00h23, Nelson Saúte




Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique