População compromete-se a erradicar “casamentos prematuros” em Gaza

População compromete-se a erradicar “casamentos prematuros” em Gaza

Várias pessoas entre adultos e adolescentes, representantes do governo locail e organizações da sociedade civil juntaram-se recentemente na localidade de Nhachengue, Distrito de Manjacaze, posto Administrativo de Chidenguele, Província de Gaza, para debater sobre estratégias de combate aos casos de uniões forçadas “casamentos prematuros” entre menores de idade e homens adultos. Tratou-se de um evento promovido pela Associação de Informação Jurídica – (Jus-Moz) que tem lavado várias actividades viradas para o combate de casamentos prematuros no País.

A escolha da localidade de Nhachengue, em Manjacaze, prende-se ao facto daquela zona ser considerada uma das que mais casos de casamentos prematuros regista na província de Gaza. No encontro os participantes foram unânimes ao defender a necessidade de união de esforços para erradicação dos casamentos prematuros sob o risco de prejuízos à saúde e bem-estar do futuro das raparigas, caso medidas contra rigorosas não sejam tomadas. Durante a sua intervenção, o Chefe do Posto da localidade de Nhanchengue, Davisson Francisco Matias, criticou algumas famílias que continuar a influenciar que suas filhas adolescentes aceitem manter a “casar” com homens adultos como forma de sobrevivência.

Apesar disso, Matias revelou, mesmo sem apresentar dados concretos, que os índices de “casamentos prematuros” tende a reduzir significativamente, devido às políticas e programas que o Governo e organizações da sociedade civil têm vindo a implementar naquela localidade de Nhanchengue.

"O envolvimento do Governo e de outros parceiros no combate a este mal tem sido fundamental não só na nossa localidade, mas em todas parcelas do nosso País. A que continuar a educar as nossas crianças, os pais e toda comunidade no geral, sobre o impacto negativo que os casamentos prematuros trazem para a sociedade", disse Davisson Francisco Matias.

Tal como fez referência, Davisson Francisco Matias, só com o envolvimento de toda força viva da sociedade, pais, tios, as próprias vítimas, chefes dos quarteirões e das localidades, é que se pode combater este mal que na verdade tem impactado negativamente no desenvolvimento político, social e económico do País.

"Se uma criança com idade escolar, deixa de ir a escola e se envolve maritalmente com uma outra pessoa, é o sonho dela que é limitado e consequentemente o sonho de um futuro melhor que também é amputado", frisou Davisson Francisco Matias.

Durante a sua intervenção, Matias disse ainda que um outro factor que concorre para o aumento de casos de casamentos prematuros na Localidade de Nhachengue, tinha a ver com a falta de uma escola secundária e pobreza, problemas que estão a ser ultrapassados.


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique