Produto nacional abasteceu mercados na quadra festiva

Produto nacional abasteceu mercados na quadra festiva

Grande parte dos produtos que foram comercializados nos mercados, de todo o país, durante a quadra festiva foi nacional. A informação foi hoje avançada pela porta-voz do Ministério da Indústria e Comércio (MIC), Suzana Mafuiane, numa conferência de imprensa conjunta sobre o balanço da quadra festiva.

Para garantir que os cidadãos pudessem desfrutar condignamente as festas do Natal e do final do ano, o Ministério da Indústria e Comércio fez o monitoramento de 10 produtos. Destes, o frango, o ovo, o tomate e a cebola tiveram maior procura.

Segundo o MIC, a monitoria efectuada permitiu que as províncias onde se verificava escassez fossem abastecidas por produtos nacionais. “Fizemos visitas de monitoria às províncias de Nampula, Tete, Manica, com o objectivo de fazer a interligação entre os mercados, dos maiores centros de produção para os maiores centros de consumo. Algumas províncias tiveram problemas de défice e tivemos que fazer mecanismos de transferência de produtos das províncias em que se verificava excedentes. Na província da Zambézia, tivemos problemas sérios da batata, onde o produto era vendido a um preço muito elevado. Mas accionou-se mecanismos, a província foi abastecida com produto vindo de Tsangano e Angónia, na província de Tete”, explicou Mafuiane.

Destes cinco produtos, o ovo é que registou maior pressão chegando a verificar-se défices em algumas regiões. O défice de frango foi causado pelo banimento da importação de ovos de consumo, devido à eclosão da gripe aviária. “Devido a esta pressão tivemos que accionar diferentes mecanismos para que o défice fosse suprido através das importações. Trabalhamos com os agentes económicos, envolveu-se importadores no sentido de interagirem com os países vizinhos, estamos a falar da África do Sul, Zimbabwe e o Malawi, para garantir o abastecimento nas províncias vizinhas destes países. Devo referir que foi apenas escassez para este caso, não houve uma ruptura completa, verificou-se uma pequena pressão sobre o produto” explicou a representante do MIC.

O país teve um défice de 3500 toneladas de frango contras as 5 mil toneladas da quadra festiva 2016-2017. O défice de frango foi suprido em grande parte por avicultores nacionais.

“Apesar de termos verificado esse défice de 3500 toneladas, não foi necessário importar frangos na totalidade, devido ao esforço que as indústrias locais empreenderam. Intensificaram a produção e houve uma resposta positiva em relação ao abastecimento do frango a partir da produção nacional. Devido a esta produção, chegou-se a vender o frango importado a preços de promoção nos principais supermercados, onde a população fez-se em massa para adquirir o produto” disse Mafuiane.

O Ministério da Indústria e Comércio, ao fazer o balanço entre a quadra festiva 2016-2017 e 2017-2018, dá nota positiva a última pela disponibilização de produtos e pelos preços praticados. “Em relação a quadra festiva 2016-2017, esta quadra foi melhor, medindo por estes cinco produtos que durante as festividades são produtos de maior pressão. Os preços foram relactivamente baixos em relação aos de 2016-2017”. Concluiu a representante do MIC.

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique