Projecto Mpanda Nkuwa: Estudos de impacto ambiental vão à revisão

Projecto Mpanda Nkuwa: Estudos de impacto ambiental vão à revisão

Muito criticado por ambientalistas, o projecto de construção da barragem de Mpanda Nkuwa, há muito nas gavetas, deverá ser alvo de revisões profundas por parte do novo consórcio mandatado para liderar o empreendimento, a Hidroeléctrica de Cahora Bassa e Electricidade de Moçambique (HCB/EDM).

O primeiro passo passa pela revisão dos estudos de impacto ambiental, que segundo o Presidente do Conselho de Administração da HCB, Pedro Couto, “todos estudos feitos em volta do projecto estão ultrapassados”.

Com Mpanda Nkuwa como prioridade, o projecto de construção da central norte da Hidroeléctrica de Cahora Bassa, na província de Tete, baptizado por HCB-norte está congelado, por um tempo indeterminado.

“HCB-norte é um projecto antigo de expansão das nossas infra-estruturas, mas terá que esperar uma outra oportunidade para avançar. Estamos agora concentrados com Mpanda Nkuwa”, realçou Pedro Couto.

Para o Presidente da República, Filipe Nyusi, a EDM e HCB possuem capacidade e competência técnica e financeira para a estruturação do projecto. Esta medida irá evitar a obstrução e o atraso que se verifica por um lado, e por outro, contribuirá para a redução do seu custo por não envolver intermediários.

Refira-se, que a Hidroelétrica de Mpanda Nkuwa, será erguida sobre rio Zambeze, na província central de Tete. O custo inicial das obras está estimado em dois mil milhões de dólares norte-americanos.

O empreendimento terá uma capacidade de gerar, inicialmente, 1500 megawatts de energia eléctrica, a barragem deverá reduzir as emissões de dióxido de carbono causadas pela energia da África do Sul, gerada principalmente por centrais a carvão.


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique