Que venham as Maurícias...

Que venham as Maurícias...

Depois da vitória nas Maurícias, por uma bola sem resposta, em partida da primeira mão, chegou a hora de confirmar a vantagem a eliminatória e desmentir os críticos, vencendo mais uma vez e garantir a passagem a fase de grupos de qualificação ao mundial de 2022, no Qatar.

"Que venham... Estamos prontos para os receber...", é parte da letra da música mais ouvida do professor Yana, cantada em 1981 quando os sul-africanos do Apartheid tentaram invadir o nosso país através da província de Maputo. É uma letra de guerra que ameaça o adversário, mas também para mostrar ao adversário que estamos prontos e somente a espera.

Professor Yana dizia, na sua canção que "Estamos prontos para receber/ Com um sandes de marreta/ Um copo de creolina/ Um pudim de betão/ Com rebuçados de pregos/ Um bolo de granadas/ E para fazer digestão/ Um coro de armas/ Viradas para eles... Que venham...", mas no caso dos Mambas há uma nova letra: "Estamos prontos para os receber/ Com defesa robusta/ Um meio campo temível/ Um ataque demolidor/ Um banco de luxo/ E uma equipa técnica experiente... Que venham..."

Uma letra que deve servir para os mauricianos entrarem em campo já temendo o seu adversário, os Mambas, levando na consciência que é a mesma selecção que os venceu em seu próprio território, e que busca uma nova vitória e passagem à fase de grupos de apuramento ao mundial do Qatar, em 2022.

 

JOGADORES PRONTOS E CONFIANTES

No treino desta segunda-feira, o último antes do jogo, a equipa técnica priorizou muito os lances de bola parada, afinal os Mambas podem aproveitar muitos desses lances para criar sempre perigo ao reduto do adversário, mas também a velocidade dos seus jogadores, principalmente os laterais, com precisão de cruzamentos para um bom aproveitamento dos avançados. Depois as grandes penalidades, afinal, nunca se sabe se teremos a oportunidade de ter uma ou duas grandes penalidades. E numa eliminatória a eliminar é sempre bom saber com quem contar para a marcação das grandes penalidades, em caso de empate.

Ainda assim, os jogadores se mostraram, confiantes num bom resultado, afinal, segundo eles, já assimilam o sistema táctico trazido pelo novo seleccionador, que procura incuti-los a necessidade de entrega, competência e concentração.

Reginaldo assume que o balneário está bom e preparado, tanto mais que "sendo Reginaldo ou outro jogador, quando chamado vem aos Mambas para dar o seu máximo e garantir uma vitória".

E Kambala acrescenta que é preciso haver concentração nos momentos cruciais, o que faltou nos últimos jogos dos Mambas, onde a equipa vem sofrendo golos para lá dos 90 minutos. O internacional moçambicano diz que "precisamos estar concentrados e saber gerir o resultado, ainda que seja magro, de um a zero, caso não seja possível marcar mais golos", por forma a atingir o objectivo, que passa por vencer e passar a eliminatória.

Reginaldo e Kambala esperam que os moçambicanos continuem acreditando na selecção nacional e garantem de tudo fazer para dar alegria aos que estiverem no Estádio Nacional do Zimpeto e nos vários cantos do país.

 

LUÍS GONÇALVES NÃO ASSEGURA VITÓRIA, MAS LUTAR PELA QUALIFICAÇÃO

O seleccionador nacional, Luís Gonçalves reconhece que o adversário virá forte, mas diz confiar nos jogadores disponíveis. Não garante a vitória, mas assume o desejo de lutar pela qualificação e diz que os jogadores tem consciência do jogo que vão fazer esta tarde.

"Não asseguro que vamos vencer, mas posso garantir que os jogadores estão motivados a lutar pela qualificação", disse Gonçalves que diz conhecer o potencial dos jogadores: "Posso assegurar que estes jogadores são profissionais e dão sempre de si por um bom resultado em todos jogos. Nem sempre conseguem o objectivo de vencer, mas sempre lutaram por um bom resultado e é isso que farão no jogo de amanhã (hoje)", afinal o actual seleccionador nacional já trabalhou com grosso dos jogadores que fazem parte do combinado nacional, quando ainda adjunto de Abel Xavier.

Mas há algo interessante nesta equipa: o seleccionador nacional não promete mudanças no onze que venceu nas Maurícias, não somente porque "em equipa que ganha não se mexe", mas acima de tudo porque durante os trabalhos de preparação para o jogo de hoje foi ensaiando quase o mesmo onze, mudando por vezes Reinildo e Edmilson, e por vezes Kito e Geny Catamo. Ratifo, Kamo Kamo e Luís Miquissone são outros jogadores que foram sendo experimentados na provável equipa principal que vai entrar de início.

Os bilhetes para este jogo estão disponíveis ao preço único de 100 meticais e espera-se por muito público, para o jogo que inicia às 16H00.

 

Equipa de arbitragem vem do Uganda

A equipa de arbitragem para o jogo desta tarde é proveniente do Uganda e é composto por Brian Nsubuga Miro, como árbitro principal, auxiliado pelos compatriotas Dick Okello, Ronald Katenya e Chelanget Ali Sabila, este último como quarto árbitro. O emissário da CAF é da Somália e chama-se Amir Abdi Hassan enquanto o delegado do jogo é do Níger e é Attama Ibrahim Boureima.

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique