Renamo diz que validação das eleições gerais pode trazer conflitos no futuro

Renamo diz que validação das eleições gerais pode trazer conflitos no futuro

O presidente da Renamo, Ossufo Momade, esteve, ontem, na cidade de Pemba, província de Cabo Delgado, onde apelou ao Conselho Constitucional (CC) a não validar os resultados das eleições de 15 de Outubro, supostamente por terem sido fraudulentos.

“Se querem salvar Moçambique, essas eleições devem ser nulas. Através do nosso recurso, o Conselho Constitucional deve respeitar a vontade do povo manifestada nas últimas eleições, sob o risco de criar conflitos para o futuro”, avisou Ossufo Momade, durante um comício realizado na capital de Cabo Delgado, nesta quarta-feira.

No seu discurso, o líder do maior partido da oposição prometeu não voltar a fazer a guerra, mas garantiu que vai  lutar para evitar que, desta vez, a Frelimo governe por via da fraude.

“Não queremos a guerra, em respeito pelo povo moçambicano. Mas também não temos medo da guerra. Não haverá mais guerra, mas não vamos deixar que um punhado de pessoas altere a vontade da população (…)”, sublinhou Ossufo Momade, que continua inconformado com a derrota nas últimas eleições gerais.

O presidente da Renamo reagiu também às acusações da Polícia da República de Moçambique, segundo as quais o seu partido é responsável pelos ataques armados no centro do país.

“Aquele grupo que está disparar não está ligado à Renamo. Nós  respeitamos aquilo que assinámos no dia 6 de Agosto. Temos  palavra. Estamos a respeitar no espírito e na letra. Eles é que estão a nos provocar porque querem empurrar-nos para a guerra, para eles continuarem a roubar. Mas desta vez vamos ficar juntos aqui”, tranquilizou Ossufo Momade.

Além de garantir que haverá paz no país, o presidente da Renamo voltou a acusar o Governo de estar a perseguir os seus membros, alegadamente pelo seu envolvimento nos ataques armados em Manica e Sofala.

“Eles já preparam armas para matar o povo em caso de manifestação, mas nós não vamos descansar enquanto não for resolvido o problema de injustiça praticada nas últimas eleições”, afirmou Momade
O primeiro discurso do presidente da Renamo terminou com acusações ao Presidente da República. “Nyusi também tem culpa nesta situação, porque ele é que dirige a Frelimo e tudo indica que ele é que quer guerra”, acusou Momade.

“Quando ele (Nyusi) está no estrangeiro diz sempre que quer paz, paz, paz, mas quando chega ao país faz tudo ao contrário”, declarou o presidente da Renamo.

Momade, aproveitou o comício em Pemba para pedir aos membros e simpatizantes do seu partido a não pagarem as dívidas ocultas. “O julgamento que está a acontecer nos Estado Unidos da América mostra que já não podemos confiar num partido acusado de receber cerca de 10 milhões de dólares [supostamente de suborno]. Isto mostra que este partido vive de roubos e agora roubou  votos”, concluiu Momade.

No fim do comício, Momade agradeceu aos membros e simpatizantes da Renamo por alegadamente terem escolhido o partido para governar o país.


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique