Antiga ministra do Trabalho indiciada de desviar 100 milhões de meticais do INSS

Helena Taipo é acusada de ter desviado cerca de 100 milhões de meticais do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS). A antiga ministra do Trabalho e actual embaixadora de Moçambique em Angola é arguida num processo que envolve cinco pessoas.

Trata-se de mais um caso que vem confirmar as velhas suspeitas: longe de ser uma instituição que cuida das poupanças de milhares de trabalhadores, o INSS transformou-se num saco para alguns dirigentes públicos.

Segundo escreve o jornal Notícias na edição desta quarta-feira, o Ministério Público está a investigar um esquema de corrupção no INSS e que envolve a antiga ministra do Trabalho, Helena Taipo.

Em 2014, último ano do seu mandato como ministra do Trabalho, Helena Taipo terá recebido cerca de 100 milhões de meticais desviados do INSS.

Citando o Ministério Público, o jornal Notícias escreve que o dinheiro foi transferido do INSS para as contas da Helena Taipo como forma de agradecer a ministra pela assinatura de contratos de investimentos em imobiliária e prestação de serviços entre o instituto e diversas empresas.

E uma das empresas que terá pago comissão à antiga ministra do Trabalho para assegurar contratos de investimentos na área imobiliária é a OPWAY Moçambique.

Em 2014, o INSS assinou contratos com a OPWAY e posteriormente com a NADHARI/OPWAY Moçambique Limitada para a construção de prédio na baixa da cidade de Maputo. Recentemente, o INSS rompeu o contrato com a NADHARI/OPWAY supostamente devido ao incumprimento dos prazos para a entrega deste edifício.

A investigação da Inspecção-Geral das Finanças citada pelo Notícias indica que a OPWAY usou empresas, pessoas singulares e de confiança da antiga ministra do Trabalho para fazer o dinheiro de pagamento de comissões. E uma das empresas citadas pelo Ministério Público é a FINAL – Financiamento, Investimentos e Agenciamentos Limitada. Um nome muito sugestivo.

Outra empresa que ganhou concursos do INSS é a ARCOS Consultores, que trabalha na fiscalização de obras públicas. Depois de receber pagamentos do INSS, a empresa FINAL transferiu parte do valor para agradecer à Helena Taipo.

A CALMAC Limitada também é citada no processo como tendo emitido cheques para intermediários que, após receberem o valor, trataram de efectuar transferências para contas tituladas pela antiga governante.

A lista de empresas que pagaram luvas a Helena Taipo inclui a Académica Magic Impressão Gráfica, uma sociedade unipessoal de Nampula. Esta empresa ganhou um concurso para a prestação de serviços ao INSS e, para não fugir à logica, também transferiu uma gratificação à antiga ministra do Trabalho.

Além de comissões, a antiga ministra do Trabalho também é acusada de recebimento indevido de ajudas de custos durante as viagens. Numa única viagem, Helena Taipo não só recebia ajudas de custo do Ministério do Trabalho, como também recebia dinheiro do INSS. E como se isso não bastasse, as ajudas de custos do INSS chegavam a ser pagos pelo dobro dos dias da viagem.

Segundo o jornal Notícias, Helena Taipo já foi notificada para uma audição a decorrer nos próximos dias no Gabinete Central de Combate à Corrupção.

Actualmente embaixadora de Moçambique em Angola, Helena Taipo foi ministra do Trabalho nos dois mandatos de Armando Guebuza e de 2015 a 2018, foi governadora de Sofala.

 


Contactos

Tef: +258 21 313517/8

Email: opais@soico.co.mz
Local: Rua Timor Leste, 108 Baixa
Maputo- Moçambique